Fake news sobre urnas eletrônicas só servem para pavimentar narrativa do golpe

Mais uma vez, semana é recheada por notícias falsas novas e velhas sobre urnas eletrônicas. Movimento que não ajuda Bolsonaro eleitoralmente só tem uma função: pavimentar terreno para um golpe e movimentar uma minoria barulhenta.

Mais uma vez, semana é recheada por notícias falsas novas e velhas sobre urnas eletrônicas. Movimento que não ajuda Bolsonaro eleitoralmente só tem uma função: pavimentar terreno para um golpe e movimentar uma minoria barulhenta.

Mais uma vez, estamos escrevendo um A Semana em Fakes para sobre urnas eletrônicas. Em uma semana na qual o próprio presidente do país convocou embaixadores para reforçar acusações já desmentidas (não só pelo Boatos.org como também por outros serviços de checagem, sites de notícias e TSE) sobre o processo eleitoral brasileiro, precisamos, novamente, falar sobre este tipo de desinformação.

Mais do que alertar para as últimas notícias falsas sobre as urnas eletrônicas (algo que já fizemos em outras oportunidades como no A Semana em Fakes 31 e no A Semana em Fakes 66), vamos refletir sobre esse movimento que visa, com acusações sem provas, descredibilizar o processo eleitoral.

De cara, podemos falar sobre o que movimentos como esse NÃO são capazes de fazer. A coisa mais elementar é trazer votos para Bolsonaro. A partir do momento no qual o presidente age como os seus seguidores mais fanáticos e dispara informações erradas sobre o processo eleitoral, ele afasta as pessoas mais sensatas (que, felizmente, é a maioria dos eleitores).

Cada vez mais os “30%” (ou 25%, 20% etc.) mais fieis vão ficar “fechados com Bolsonaro” enquanto os outros “70%” (ou 75%, 80% etc.) vão se afastar dele. Quem quer ser presidente não ganha nada com isso (talvez para um candidato ao legislativo seria o suficiente). Está claro que o “xororô antecipado” está deixando (para desespero dos aliados) Bolsonaro mais perto da derrota.

O uso de fake news sobre o assunto também não vai colocar a opinião pública contra as instituições que controlam as eleições brasileiras. Os argumentos de, por exemplo, não haver auditoria, de falta de idoneidade do TSE ou, ainda, de “hackers”, são tão frágeis que só convencerão (pelo menos sem provas) quem quiser ser convencido.

Aqui cabe um parêntese: é claro que precisamos cada vez reforçar a segurança do processo eleitoral e buscar tecnologias que busquem modernizar as eleições. Isso não tem nada a ver com acusar sem provas apenas com o intuito de confundir algumas pessoas e tumultuar o processo eleitoral.

Agora que já destacamos para que não servem as campanhas de desinformação sobre urnas eletrônicas, vamos refletir em relação ao que serve este monte de fake news que são espalhadas por aí.

Em segundo plano, serve para Bolsonaro fidelizar os mais fiéis. Idiotas que acreditam que o mundo não passa de um amontoado de teorias da conspiração não se veem refletidos em qualquer candidato (nem em qualquer pessoa). A partir do momento que Bolsonaro estende a mão para esse grupo, vira “o líder” que eles querem.

Só que, se esse grupo não “ganha eleição” por que Bolsonaro não suaviza o discurso? Mais uma vez, a resposta é simples. No caso de uma derrota do atual presidente, vão ser essas pessoas que vão sustentar uma narrativa golpista. Em outras palavras, vão ser estes que vão pressionar e, quiçá, marchar a favor de “uma intervenção militar com Bolsonaro no poder”. E, sim, esse é o principal objetivo deste tipo de fake news.

Ou seja: não é possível ver qualquer benefício, mesmo para Bolsonaro, destas fake news sobre o processo eleitoral. Uma vez que as acusações não convencem ninguém, elas só servirão para que uma minoria barulhenta faça pressão para um golpe que não irá ocorrer (frisa-se) no caso de uma derrota do presidente.

Trends da semana

Palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias

  1. PicPay (Confira detalhes aqui)
  2. Anitta (Confira detalhes aqui)
  3. Lula (Confira detalhes aqui)
  4. Anita (Confira detalhes aqui)
  5. Chile (Confira detalhes aqui)
  6. Pic pay (Confira detalhes aqui)
  7. Bolsonaro (Confira detalhes aqui)
  8. Ankole (Confira detalhes aqui)
  9. Stephen Mac (Confira detalhes aqui)
  10. Nando Reis (Confira detalhes aqui)

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias

  1. Promoção falsa que aponta que PicPay está fazendo Quiz com Pix de prêmio no WhatsApp (Confira detalhes aqui)
  2. Fake news que aponta que Fábio Jr., pai de Fiuk, morreu (Confira detalhes aqui)
  3. Fake news que aponta que Anitta foi flagrada com um homem em vídeo (Confira detalhes aqui)
  4. História falsa que aponta que montanha de dinheiro foi encontrada na casa de Cristina Kirchner (Confira detalhes aqui)
  5. Fake news que aponta que Fafá de Belém assumiu relação com Xororó e Sandy se separou (Confira detalhes aqui)

Destaques nas redes sociais

Desde o início de 2021, o Boatos.org promove a seção “A Semana em Fakes”, com análises sobre assuntos relacionados a fake news. O conteúdo é aberto para republicação em veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Jorn., Portal MetrópolesPortal T5, Conexão Marília, O Anhanguera e RP10 (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.